Chocolate, você consegue resistir?

Chegada da Páscoa, e a gente fica com aquela dúvida de qual seria o melhor chocolate para não sair da dieta. Pois então, para começarmos a gozar dos benefícios do cacau o chocolate precisa ser no mínimo 50% cacau. O cacau vai agir no nosso organismo como um neurotransmissor, ativando após o consumo a liberação de dopamina e serotonina (hormônios que estão correlacionados a sensação de prazer e felicidade). Além de ser um ótimo antioxidante, anti-inflamatório, contribuindo assim para o rejuvenescimento celular. Ele também está associado a melhora da coagulação sanguínea e redução de colesterol ruim. Nos supermercados e em lojas de produtos naturais, encontramos versões ainda mais concentradas como 70, 80 e 85%. Esses produtos geralmente não são compostos de leites, tendo na sua composição manteiga de cacau, menos açúcares e gorduras. Para diabéticos também encontramos as versões diet (sem açúcar). E para os que querem aumentar o seu consumo proteico e de que quebra ainda se sentir mais saciado, também já existem as versões de chocolates com mais proteínas. Que no caso seria com adição de Whey Protein (proteína do soro do leite). Porém os alérgicos e intolerantes também não podem ficar de fora, já existindo também chocolates com proteínas vegetais ou zero lactose. Mas para você que não abre mão do velho chocolate ao leite ou chocolate branco, lembre-se: tente equilibrar suas refeições, reduzindo o consumo calórico em outros alimentos para adicionar essa guloseima de Páscoa. O equilíbrio de quantidade e combinações de alimentos sempre será um ponto muito forte para que sua reeducação alimentar tenha sucesso.

Por Janaína Czarnobai, nutricionista Scienza.